Anomalia de 4º C na primeira quinzena de Agosto

2010-08-20 (IM)

A primeira quinzena de Agosto foi caracterizada, em geral, pela influência de uma corrente de Leste que transportou na sua circulação uma massa de ar quente e seco, situação que conduziu à persistência de temperaturas elevadas e à ocorrência de uma onda de calor, registada em várias estações da rede do IM.

No período de 1 a 15 de Agosto, o território continental registou uma média da temperatura máxima do ar de 32,8ºC, o que significa uma anomalia de + 4ºC em relação ao valor normal mensal de 1971-2000 (28,8ºC). Relativamente à temperatura mínima do ar, no período em análise registou-se uma média de 17,3ºC, traduzindo-se numa anomalia de +1,8ºC, em relação ao valor normal do mês (15,5ºC).

Neste período, os maiores valores da temperatura máxima do ar observados  foram de 42,3ºC na Amareleja no dia 11, 42,0ºC em Tomar e 41,9ºC em Alvega, ambos no dia 8. As maiores temperaturas mínimas verificadas neste período registaram-se em Faro com 27.2ºC no dia 12, em Portalegre com 26,5ºC no dia 10 e em Lisboa com 26,4ºC nos dias 10 e 11.

Relativamente ao risco meteorológico de incêndio (FWI), os primeiros 15 dias do mês caracterizaram-se por valores de risco elevado a máximo nas regiões do interior Norte e Centro.

Da análise do comportamento do risco de incêndio médio, da área ardida e do número de ocorrências, para os primeiros 15 dias do mês de Agosto, no período 2006-2010, verifica-se que os anos de 2006 e 2010 são os que apresentam maiores valores de risco médio, de área ardida e também do número de ocorrências para o período em análise.

Comparando com os anos anteriores, verifica-se que o valor médio do FWI de 2010 é o mais elevado, relativamente ao período homologo dos últimos anos, sendo bastante próximo do obtido em 2006.

Fonte: Instituto de Meteorologia, I.P.