Ainda o infernal mês de Julho...

2010-08-19 (IM)

A influência de uma corrente de Leste que transportou na sua circulação uma massa de ar quente e seco, conduziu à persistência de tempo quente em todo o mês de Julho. Este mês do ponto de vista climatológico caracterizou-se como muito quente e seco, tendo mesmo registado o maior valor médio da temperatura máxima, para o mês, desde 1931, com 31,75ºC.

O mês de Julho apresentou valores altos de risco meteorológico de incêndio (FWI) praticamente em todo território. O valor mensal de FWI, quando comparado com meses homólogos de anos anteriores, foi inferior ao valor de 2005, estando, no entanto, acima dos valores registados nos últimos quatro anos, bem como do valor médio do período 2003-2009.

O IM iniciou no mês de Julho o cálculo dos valores diários da quantidade de carbono libertada na atmosfera por acção ds incêndios florestais, em Portugal continental. Em Julho, o valor mensal acumulado foi de 49 607 toneladas, sendo de realçar que a quantidade de carbono libertado no período de 26 a 31 de Julho correspondeu a cerca de 88% do valor mensal acumulado.

- Relatório Risco Meteorológico de Incêndio - Julho

Fonte: Instituto de Meterologia, I.P.